Estância, 30 de Julho de 2014
HISTÓRIA DA CIDADE

HISTÓRIA

Fundação: 1848 (164 anos de história)

Gentílico: Estanciano

Padroeira: Nossa Senhora de Guadalupe

Conhecida com "Cidade Jardim de Sergipe"

Pedro Homem da Costa e seu concunhado foram agraciados com as terras onde se encontra hoje o território de Estância. A doação foi feita pelo capitão-mor da Capitania de Sergipe, João Mendes, em 16 de setembro de 1621, porém, as ditas terras haviam sido adquiridas anteriormente por Diogo de Quadros e Antônio Guedes, os quais não a povoaram nem a colonizaram, razão pela qual perderam o direito da concessão. Tanto Pedro Homem da Costa, como Pedro Alves e João Dias Cardoso, este último sogro dos dois, já ocupava a gleba antes da concessão, com roças e criação de gados.

Quem primeiro desbravou as terras foi Pedro Homem da Costa e nelas edificou uma capela, dedicada a Nossa Senhora de Guadalupe, santa que nos consta, é, também, a Padroeira do México. Entre os mexicanos, Estância é uma propriedade de criação de gado e os seus ocupantes são chamados de estancieiros, daí o nome adotado por Pedro Homem da Costa: Estância.

Durante muito tempo, Estância foi subordinada à Vila de Santa Luzia do Real, atualmente Santa Luzia do Itanhy. Só em abril de 1757, o rei autorizou que realizassem na povoação de Estância "vereações, audiências, arrematações e outros atos judiciais na alternativa dos juízes ordinários", acontecendo assim, a separação jurídica da Vila de Santa Luzia, então em franca decadência. Em 25 de outubro de 1831, a sede da Vila de Santa Luzia é transferida para Estância. Em 5 de março de 1835, é criada a sua Comarca, e, finalmente, a 4 de maio de 1848, foi elevada a categoria de cidade.

A cidade de Estância, denominada por S.M. Dom Pedro II como o jardim de Sergipe, a cidade dos sobrados azulejados, das festas juninas e do barco de fogo, ainda possui um belo acervo arquitetônico.

PATRIMÔNIO CULTURAL

O IPHAN em 27 de julho de 1962 tombou a Casa à Praça Rio Branco nº. 35. Sobrado colonial que possui telhado em quatro águas com beirais e cimalha de madeira. No térreo possui quatro portas e três janelas alternadas de vergas curvas e ombreiras de madeira. O segundo pavimento possui sete janelas com balcões em balautradas em madeira. As fachadas laterais do pavimento superior possuem janelas semelhantes às da fachada principal. A fachada posterior apresenta o prolongamento do piso superior sobre pilastras de alvenaria. O prolongamento tem pé direito baixo e oito janelas geminadas de construção mais recente. O único exemplar acautelado em nível federal, incluído no livro de tombo histórico, na verdade, uma homenagem à rica história de Estância. E também mostra a predileção do órgão federal por bens coloniais.

Entretanto, são os sobrados e casas azulejados, muitos tombados pela Secretária de Cultura do Governo do Estado de Sergipe, que se destacam na paisagem urbana. Citamos os imóveis:

  • Rua Capitão Salomão nº.67; Rua Pedro Soares nº. 442 (ou Cap. Salomão nº 84);
  • Rua Capitão Salomão nº. 122; Rua Capitão Salomão nº. 136;
  • Rua Capitão Salomão nº. 227; Rua Capitão Salomão nº. 228; Rua Capitão Salomão nº. 256;
  • Rua Duque de Caxias nº. 339; Rua Capitão Salomão nº. 162;

Também são tombados pelo Governo Estadual a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e a pintura em óleo sobre tela Misericórdia e Caridade de autoria de Horácio Hora do Hospital Amparo de Maria.

DADOS GEOGRÁFICOS

DEMOGRAFIA

População: 64.409 hab. (IBGE 2004)

Área: 644 km2 (2,8% do território de Sergipe)

Densidade Demográfica – 82,69 hab/km²

LOCALIZAÇÃO

Região Nordeste. O Município está situado ao Sudeste do Estado, integrando a micro-região do litoral Sul Sergipano. Distância para a capital, Aracaju, 56Km em linha reta e 70Km por Rodovia Federal.

Limites: Fazendo parte da zona fisiográfica do litoral, limita-se ao Norte e Nordeste com o município de Itaporanga d' Ajuda; ao Leste e Sudeste com o Oceano Atlântico; ao Sul com o Estado da Bahia na restinga do Mangue Seco, separado pela Barra de Estância; ao Sudeste com os municípios de Indiaroba e Santa Luzia do Itanhy, separado pelo Rio Piauí; ao Oeste com o município de Arauá e ao Nordeste com o município de Salgado.

Distrito do Município: O município possui um distrito que é o Bairro Cidade Nova.

RELEVO

Bioma: Mata Atlântica

Planície Litorânea: localizada ao longo da Costa, formada por dunas e praias.

Tabuleiros Costeiros: localizados após a planície litorânea, constituído de baixo planalto pré-litorânea, com temperatura média de 25ْ C e um período de seca de até três meses.

Vegetação Litorânea: é muito variada, nas praias predominam coqueirais e uma vegetação rasteira, com campos de matas de restingas e manguezais.

Mata Atlântica: floresta fechada, com árvore alta encontrada no topo de algumas colinas e sopé das serras.

Cerrado: vegetação espaçada com arbusto e árvore baixa, retorcidas, de casca grossa, pouco encontrada no município.

CLIMA

Clima tropical, com os meses de maior calor, janeiro, fevereiro e dezembro e os meses mais chuvosos, maio, junho, julho, agosto e setembro.

Temperatura Máxima - 31ºC

Temperatura Mínima – 23°C

Temperatura média anual - 30ºC

HIDROGRAFIA

Rio Piauitinga - 4.256,24 km

Rio Piauí – 3.993,21 km

Rio Real – 2.566,89 Km

DADOS GERAIS

RÁDIOS LOCAIS

Ilha FM 101.5 MHz

Rádio Abaís AM 1450

Rádio Esperança AM 1250

Rádio Marazul FM 104.9 MHz

Portal da Prefeitura de Estância - Todos os direitos reservados.