2180

Prefeitura Municipal de Estância

Pular para o conteúdo

Através das suas redes de atendimento, Estância comemora 13 anos da Lei Maria da Penha

Fonte: SECOM
07/08/2019 às 19h17

Noticia

Galeria com imagens e vídeos sobre a matéria


Nesta quarta-feira, 7, dia em que é celebrado 13 anos de criação da Lei Maria da Penha, a Prefeitura de Estância, por intermédio do Centro de Referência Especializado de Atendimento à Mulher (CREAM) e da Coordenadoria Municipal de Políticas para as Mulheres (CMPM) comemora essa data que representa um avanço no combate à violência doméstica e de gênero.

“A Lei Maria da Penha é um marco divisor no combate à violência contra a mulher por estabelecer a criação de uma ampla rede de proteção e acolhimento às vítimas. Não poderíamos deixar de citar que o primeiro município sergipano a iniciar o projeto-piloto Ronda Maria da Penha foi Estância, em março deste ano, que consiste em mais um instrumento de acolhimento e prevenção à violência contra a mulher, assim como na fiscalização quanto ao cumprimento de medidas protetivas deferidas pelo Judiciário”, salientou o prefeito Gilson Andrade.

De acordo com a responsável pela CMPM, Guadalupe Batista todo trabalho realizado pela rede de atendimento no enfrentamento da violência contra a mulher é determinante para o seu efetivo combate. “A violência contra a mulher é materializada diariamente atingindo várias classes sociais, onde inúmeras mulheres sofrem agressões físicas, verbais e mentais, portanto, a Lei Maria da Penha é um poderoso instrumento para enfrentar e coibir essas agressões. Digo sempre que podem existir muitos motivos para se calar, mas apenas um dele é suficiente para denunciar”, considerou.

Dando um norteamento às ações da Coordenadoria Municipal de Políticas para as Mulheres e do CREAM enquanto rede de enfrentamento, atendimento e proteção às mulheres, o Projeto Maria-Resgatando a Autonomia, criado no ano de 2018, cumpre seu objetivo que é informar à população sobre a existência da rede de proteção à mulher, além de atuar através de palestras educativas nas escolas e associações de moradores, assim como na zona litorânea e rural do município com rodas de conversas, bem como o acolhimento de mulheres vítimas de violência.

Localizado na Rua Francisco Camerino, 169 – Centro, o CREAM presta acolhimento e atendimento humanizado às mulheres em situação de violência, ofertando atendimento psicológico e social, além de orientação e encaminhamentos jurídicos necessários à superação da situação de violência, contribuindo para o fortalecimento da mulher. Seu horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h.

Parceiros

Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação