2180

Prefeitura Municipal de Estância

Pular para o conteúdo

Sanfoneiro Zé Taquari é o grande homenageado dos festejos juninos de Estância

Fonte: SECOM
01/06/2018 às 07h45

Noticia

Galeria com imagens e vídeos sobre a matéria


O município de Estância tem a honra de abrir e realizar o maior festejos junino do Estado de Sergipe. Conhecida como berço da cultura popular, Estância tem o orgulho de ser um Município rico em grupos folclóricos, artistas plásticos e diversos cantores.

Para manter viva na memória da população estanciana, com toda a sua riqueza cultural, a Prefeitura de Estância, por meio da Secretaria Municipal da Cultura e do Turismo, presta uma justa homenagem ao eterno sanfoneiro José do Nascimento Costa, o Zé Taquari. Para isso, nos festejos juninos desse ano, o Mais Cultural do Brasil, o arraial e a cidade cenográfica foram batizados com o nome do artista. Os espaços serão um dos principais palcos dos festejos juninos da cidade, montado na Praça Barão do Rio Branco, em reconhecimento à sua grande contribuição cultural e ao cenário musical da cidade de Estância.

O Arraial Zé Taquari será inaugurado nesta sexta-feira, 01 de junho, às 19h. Todos convidados!

Biografia

Para saber um pouco mais sobre a história de vida deste estanciano de coração que está sendo homenageado neste São João, confira um breve resumo da sua biografia:

José do Nascimento Costa, conhecido pelos amigos como Zé Taquari, nasceu em 26 de dezembro de 1952, na cidade de Arauá, Estado de Sergipe. Filho de Raimundo Freire Costa e Alice do Nascimento Costa. Com cerca de 10 anos foi, com os seus pais, morar na cidade de Estância, mas sem perder os laços com a sua cidade natal, tendo em vista que, aos finais de semana, voltava à Fazenda Taquari, em Arauá. Sua formação Acadêmica foi adquirida na Escola Técnica do Comércio, local onde fez diversas amizades. Ainda bem jovem, aproximadamente aos 20 anos, ingressou no serviço público ao passar no concurso do Banco do Brasil. Zé Taquari dedicou a sua vida à instituição bancária realizando muitos atendimentos e conquistando novos amigos ao longo de 22 anos.

Em 1977, casou com a estanciana Lísia Augusta Libório Costa, mulher admirável e mãe exemplar, tendo com ela quatro filhos, Márcio David Libório Lisboa, Lisianne Libório Lisboa, Ângelo Augusto Libório Lisboa (Anginho) e Liliane Libório Lisboa. Além de quatro netos, Marcos Antônio e Guilherme Augusto, filhos de Lisiane e Caio Taquari e Letícia filhos de Ângelo. Após a aposentadoria do Banco do Brasil, abriu um frigorífico na praça Humberto Ferreira, estabelecimento que serviu aos estancianos por muitos anos.

Além do frigorífico, foi apresentador de um programa na Radio Jornal FM (atualmente Xodó FM). Também enveredou na carreira política ao se candidatar aos cargos de vereador, deputado estadual e deputado federal por algumas vezes. Mas o que marcou a estada de Zé Taquari no município de Estância foi o seu talento musical. Sua paixão pela música perdurou por toda a sua vida. Com ela, alegrou as festas de muitas famílias. Foram muitas tardes e noites de diversão no XPTO e, aos sábados, presenteando os estancianos com seu talento fazendo participação no programa do saudoso Eduardo Abril, na Ilha FM.

Além de ser um exímio forrozeiro, Zé Taquari compôs vários forrós tais como “Gostoso de amar”, “Nordeste turístico”, “Forró dos velhos”, entre outras. Sua voz e sua sanfona sonorizaram muitas noites juninas em Estância. Durante a sua careira artística gravou dois LPs e um CD. Em 2017, Zé Taquari participou da gravação do CD (En)Cantos da Terra do Barco de Fogo, projeto desenvolvido pela Prefeitura de Estância, por meio da Secretaria Municipal da Cultura e do Turismo, interpretando a música Estância, Trinta Dias de Forró – Ano 1990 – da compositora Raimunda Andrelina.

Pelos seus feitos e contribuição enquanto servidor público e como músico, foi homenageado com a maior honraria concedida pela Câmara de Vereadores, o título de cidadania estanciana, uma propositura do vereador Misael Dantas Soares. Como um cidadão estanciano, que apenas não havia nascido na cidade, dedicou toda a sua vida e amor à cidade. Alegre e extrovertido era comum encontrá-lo fazendo caminhadas ou sentado no banco da praça batendo um papo com os amigos, cumprimentando os transeuntes, sempre trajando a roupa preta que tanto despertava a curiosidade do povo. Tratava-se da sua marca registrada e, na condição de artista, Zé Taquari dizia se sentir mais bonito vestindo roupas pretas. Esse ícone da cultura estanciana veio a óbito no dia 12 de novembro de 2017, aos 65 anos.

Fonte: Soraya Salim, nora de Zé Taquari.

Parceiros

Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação