2180

Prefeitura Municipal de Estância

Pular para o conteúdo

Secretaria da Educação cede área da Escola Agrícola para execução de atividades do campo

Fonte: SECOM
28/11/2018 às 13h40

Noticia

Galeria com imagens e vídeos sobre a matéria


“A Escola Agrícola era mais um espaço público abandonado, e ao assumirmos a gestão municipal tomamos como desafio a sua revitalização. Ao percebemos a necessidade de utilizar sua área de terra, com a assinatura desse termo a Secretaria Municipal da Educação (SEME) ficará responsável pela parte pedagógica e alguns hectares de terra serão administrados pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico com a implementação de ações”. Com estas palavras, o prefeito Gilson Andrade (PTC) enfatizou a importância do ato realizado na manhã desta quarta-feira, 28, no Povoado Araçás, durante a solenidade de assinatura do Termo de Cessão de uma área de 52 hectares da Escola Municipal Governador Antônio Carlos Valadares, a Escola Agrícola, celebrado entre a SEME e a Secretaria do Desenvolvimento Econômico.

Em sua fala o gestor municipal também citou outros projetos que serão desenvolvidos, a exemplo do viveiro de mudas, a utilização da água proveniente dos poços artesianos que a escola possui que poderá ser utilizada num projeto de irrigação, a produção de adubo por meio de material orgânico proveniente da cidade, e também a escolha de uma área para o plantio de bambu para que daqui a 4 anos seja implementado como matéria-prima para os fogueteiros da cidade na produção de artefatos no período junino.

Para o secretário municipal da Educação, Carlos Menezes Júnior, essa iniciativa representa um grande avanço para a educação no município em ter uma escola laboratório para que alunos desenvolvam atividades práticas, pois há anos a Escola Agrícola não vem cumprindo com a sua finalidade. Ele disse que em 2019 será dobrado o número de vagas na Escola Agrícola, inclusive, ele já teve reuniões em várias escolas da rede municipal para falar sobre a questão da pré-matrícula.

“Essa iniciativa consiste em um divisor de águas da gestão do prefeito Gilson Andrade, em tornar essa escola produtiva e desenvolvê-la economicamente. No mês de janeiro de 2019 toda a equipe de manutenção da SEME vai trabalhar de forma intensiva realizando a manutenção da escola, a exemplo de serviço de telhado, revitalização da quadra e a manutenção de uma área que nunca foi utilizada desde a sua construção. O ano de 2019 será o ano da Escola Agrícola. Claro que tem muita coisa a ser feita, mas o caminhar de 1000 passos se dá com o primeiro passo. Estamos dando hoje o primeiro e daremos muitos outros avante para que realmente a Escola Agrícola cumpra com a sua finalidade social no município de Estância”, frisou o secretário.

“Hoje é uma importante data em termos de aprendizagem e conhecimento para nós que somos uma escola agrícola, porque é muito importante que tenhamos o desenvolvimento da prática além das disciplinas convencionais onde o nosso aluno vai receber o treinamento profissionalizante para que possa atuar em sua comunidade, e assim ter uma fonte de renda, evitando o êxodo rural que muitas vezes não tem sucesso. Com o desenvolvimento dessas práticas o aluno vai fixar residência em sua própria comunidade. Espero que com esse projeto formemos alunos com mais conhecimento e isso possibilite o seu próprio sustento”, disse o diretor da Escola Agrícola, Ailton Rodrigues.

De acordo com o secretário municipal do Desenvolvimento Econômico, Carlos Blinoffi, a revitalização agropecuária da Escola Agrícola faz parte do plano de ação da pasta que administra tendo em vista que o princípio básico é a implementação da policultura para distribuição de mudas para os produtores rurais da região. “Toda a região Sul é protagonista do desenvolvimento econômico porque possui cidades com polo industrial, porém, precisamos de matérias-primas, pois sabemos que ao longo do tempo a citricultura vem perdendo espaço porque a monocultura é fadada a falir, e o nosso objetivo é que o agricultor não precise ir longe porque a distribuição de sementes de mudas frutíferas como acerola, mamão, goiaba, abacaxi, manga, maracujá, caju precoce e citrus será aqui mesmo”, explicou.

Parceiros

Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação