2180

Prefeitura Municipal de Estância

Pular para o conteúdo

11 de Junho, o dia em que os Marujos de Chico Surdo celebram o seu mestre

Fonte: SECOM - Prefeitura de Estância
11/06/2020 às 16h15

Noticia

Galeria com imagens e vídeos sobre a matéria


O dia 11 de junho nunca mais será o mesmo após a aprovação da Lei do então Deputado Gilson Andrade, que instituiu esta data como o “Dia Estadual do Barco de Fogo”. Em 2019, a data ganhou um elemento a mais, o “Cortejo Marujos de Chico Surdo”, um arrastão cultural regado de muita cantoria, batucadas e apresentações de espadas que celebraram o saudoso criador do Barco que voa e rasga o céu de Estância arrancando aplausos e encantando a todos que assistem a esse espetáculo único, originado na Cidade “Berço da Cultura Sergipana” e mantido por dezenas de engenheiros populares que há décadas seguem os passos do mestre Chico, que se estivesse vivo completaria nesta quinta-feira 113 anos.

Embora tenha tido apenas uma edição, “Os Marujos” conseguiram enraizar-se na cultura junina de Estância e hoje, dia em que iriam celebrar o mestre maior do São João estanciano, este cortejo, embora ainda seja caçulo em nossas tradições, está intrínseco na memória do seu povo, da sua gente, que é apaixonada por esta cultura, por esta tradição.

Tendo como ponto de partida o Bairro Porto D’areia, comunidade que respira as tradições juninas de Estância, “Os Marujos” tiveram a companhia de diversas Batucadas, agentes culturais dos mais variados segmentos, servidores públicos, classe política e população em geral, além, é claro, da família do homenageado e dos fogueteiros, discípulos de Chico Surdo, que a todo tempo clareavam o céu de Estância com suas espadas dando o brilho à festa e encantando a todos. Na Praça Barão do Rio Branco foram soltos 11 dúzias de espadas e 11 Barcos de Fogo, uma verdadeira celebração e culto ao seu inventor, Francisco da Silva Cardoso, mais conhecido como Chico Surdo, que nasceu em Estância, no dia 11 de junho de 1907 na Rua Voluntários da Pátria, Bairro Botequim.

Hoje, ficam as lembranças de uma data que significa muito mais que o nascimento de um munícipe, mas, um dia que marca o surgimento de uma tradição que nasceu para saudar o homem que sonhava em ser marinheiro, mas, que por conta das suas limitações, fez do seu sonho um legado para todos nós, nos presenteando com uma obra que aperfeiçoou-se e hoje é o símbolo maior do São João mais Cultural do Brasil.

Viva os Marujos de Chico Surdo

Viva 11 de Junho

Viva Chico Surdo

Viva o São João da Capital Brasileira do Barco de Fogo

Parceiros

Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação